Certo ou errado eu quero ter você [. . .]
“Eu já liguei no seu número só pra escutar sua voz. E você nunca desconfiou que aquele alô não sairia tão cedo da minha mente. Você desligou e reclamou por não terem dito nada, mas aquilo significou mais do que uma longa conversa. Eu precisava de um pouco de você, mesmo que fosse de forma tão inútil.”
~ Sean Wilhelm.    (via legitimada)

“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa. Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera. Estranho e que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é? A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas? A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar. Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera? E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”
~ Caio Fernando Abreu. (via auroriar)

“Eu amo quando ela ri e coloca a mão no meu rosto por eu estar olhando-a rir. Amo quando ela fica corada, quando eu a elogio. Amo quando ela fica irritada, ela fica tão bela, é uma coisa de outro mundo. Eu amo quando a gente vai sair, e ela fica me perguntando qual roupa que está boa, troca de roupa milhares de vezes, é bom saber que minha opinião importa. Mas eu não a entendo quando eu digo que gosto de uma roupa e ela diz que ficou apertado, que marcou a gordurinha dela. Gordurinha essa, que só ela vê. Eu amo todos os gestos dela, do seu toque à seu beijo, seu cheiro, seu olhar… Ah, são infinitos os meus amores, por ela.”
~ Infinitos amores, Inconsumada. (via apagou)

“Eu espero que algum dia você encontre minhas frases, todas as minhas palavras, e as leia. E eu espero que você saiba que são todas sobre você.”
~ Virgular (via perdoar)